Corte os custos com bom-senso.


Você sempre ouviu que despesas devem ser controladas. Isso é verdade, mas vale lembrar que alguns gastos são essenciais para o bom funcionamento da loja.
Saiba quais são e pense bem antes de reduzi-los.
Pesquisa International Business Report ouviu 150 empresários de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia para saber qual caminho eles consideravam o mais curto para aumentar a rentabilidade do negócio. Com 23% das ciações, redução de custos foi o ponto mais lembrado. O problema é que nem todos sabem com exatidão quais despesaspodem ser enxugadas. E o erro mais comum é cortar funcionários indiscriminadamente. Segundo Nelson Berltrame, professor do Provar/Fia, quando as empresas decidem analisar planilhas de despesas, voltam os olhos para os campos com os maiores valores. E os gastos com funcionários é um deles. "Os cortes corretos são queles que eliminam desperdícios", defende o consultor de varejo Gustavo Ayala. Ele cita, como exemplos, os gastos com banners, faixas de preço, além de ilhas e pontaas de gôndola. "O erro acontece quando o corte de custos é feito em detrimento do atendimento ao cliente. è o caso de empresas que decidem eliminar repositores, operadores de caixa, açogueiros e fatiadores de frios", afirma . "Isso agfugenta o consumidor". É bem verdade que há momentos em que a dispensa de funcionários é inevitável. Mas antes de tomar essa decisão, Ayala sugere avaliar se os lucros gerados pelo setor cobrem os custos com os funcionários. "Se adiciono um açougueiro, espero que o resultado compense o investimento", resume Ayala. Éderson Oliveira, consultor da Evarejo concorda e cita o exemplo da rede mineira Rex, à qual presta consultoria. A emprese manteve os empacotadores trabalhando nos checkouts das 17 lojas e eles foram fundamentais para reduzir gastos com sacolas plásticas. "Fizemos um treinamento para que a equipe oferecesse caixas de papelão ao cliente e o resultado foi excelente. Em quatro meses reduzimos em 13% as despesas com sacolas", comemora. Outra forma de reduzir o impacto dos custos, de acordo com Oliveira, é buscar alternativas para aumentar rentabilidade. No açougue, isso pode ser feito a partir da oferta de cortes de carne para determinados pratos, como o estrogonofe. Além de atender as necessidades da clientela, esses produtos podem ser vendidos a valores mais altos, uma vezque não há referência de preço. "Se a equipe do açougue for muito reduzida, dificilmente os funcionários terão tempo para preparar esses cortes", lembra o consultor. Tirar verba da manutenção de equipamentos é outra decisão arriscada, segundo Nelson Beltrame. ele constatta que as empresas de varejo ainda gastam muito dinheiro na correção de problema que poderiam ser evitados com ações preventivas. É o caso de um expositor congelado que não recebe manutanção e para de funcionar. Isso gera perda de vendas e pode render uma autuação da vigilância sanitária. nada melhor, portanto, do que o bom-senso e a análise de dados para reduzir ustos e preservar gastos esenciais para um bom atendimento.
O que avaliar antes de eliminar um custos?
Cada despesa deve ser analisada individualmente. Um gasto aparentemente alto pode ser justificado pela estratégia da empresa. Custos devem ser eliminados apenas quando representam desperdício.
Como identificar os gastos excesivos?
O ideal é colocar no orçamento os valores que a empresa pretende gastar durante o ano, a partir de uma base realista. Assim é possivel perceber quando um setor gasta mais que o prevista para a partir daí entender as razões.
Por que é arriscado reduzir a equipe ?
Quando o quadro de colaboradores não está inchado, a eliminação de pessoal pode prejudicar atendimento e prestação de serviços. Com o tempo os clientes ficam insatisfeitos e passam a comprar em outro lugar.
Adhmann.com.br     Rua Barão do Triunfo, 427 - 2º andar - Conj. 207 - Brooklin Paulista - SP - CEP: 04602-001 - Fone: (11) 3045-3530